Skip To The Main Content

Quando o estoque realmente conta

ASCM CEO

Friday December 15, 2017


Marcas como Michael Kors, Polo, Kate Spade e outras querem “ganhar” o Natal. Stephanie Hoi-Nga Wong, da Bloomberg, escreveu sobre como elas poderiam fazer isso em “Natal se torna um jogo de guerra de estoque para marcas de moda dos EUA.” 

“Mas a vencedora não será a empresa que vender mais – será a que terminar com a menor quantidade de mercadoria indesejada”, ela escreve. “A ideia é melhorar as margens de lucro, mesmo que isso signifique abrir mão de alguma receita.”

É isso mesmo. Marcas de moda são desafiadas com o gerenciamento de seus estoques, assim como fabricantes. E o furor das compras de feriado cria uma complexidade ainda maior, intensificada pela diminuição das vendas de lojas de departamento e descontos das principais marcas. A Bloomberg informa que, mesmo com os descontos, as lojas tradicionais não viram as vendas que precisavam na Black Friday. Em vez disso, compradores estão recorrendo a seus telefones para não enfrentar os shoppings.

O conceito crescente de omnicanal, lojas de varejo que trabalham em conjunto com o comércio eletrônico, também gera desafios de estoque. Hoi-Nga Wong apresenta o exemplo de consumidores que compram on-line e retornam à loja. “Há muita especulação sobre se os varejistas são realmente capazes de gerenciar o estoque adequadamente no mundo do omnicanal”, diz David Bassuk, codiretor de varejo da AlixPartners LLP.

Varejistas e marcas estão mirando promoções mais inteligentes, ao contrário de descontos constantes para estimular as vendas e reduzir o estoque. A Bloomberg informa que os varejistas estão se voltando para novos recursos, além de dados de histórico de vendas e lealdade.

“Na era do Big Data, eles estão confiando mais em análises e aprendizado de máquina – uma forma de inteligência artificial – para manter melhor o estoque”, escreve Hoi-Nga Wong. Além disso, algumas lojas estão empregando etiquetas de identificação por radiofrequência (RFID) para rastrear produtos de forma mais eficiente.

Algumas coisas mudam, outras nunca

Enquanto varejistas e marcas utilizam as últimas tecnologias relacionadas a dados, análises e RFID, essa base do corpo de conhecimento da APICS – gerenciamento de estoque – é tão importante agora quanto foi há 60 anos, quando a APICS foi fundada.

Analisando o Dicionário da APICS, pode-se observar a importância do estoque para a APICS; há mais de uma página e meia de palavras que começam com “estoque.” Tomemos o software de otimização de estoque, por exemplo, que é definido dessa forma: “Aplicativo de computador que pode encontrar melhores estratégias e políticas de estoque, relacionadas a atendimento ao cliente e a retorno sobre investimento em vários níveis de uma cadeia de suprimentos.”

O estoque permanece importante para a APICS, porque continua a ser importante para empresas em toda parte. É também por isso que o Certificado APICS em Produção e Gestão de Estoque (APICS Certified in Production and Inventory Management, CPIM) continua a ser a principal certificação para operações internas da cadeia de suprimentos das empresas. Se você está pensando em conseguir seu CPIM, agora é a hora. Acesse apics.org/cpim para obter mais informações e começar.