Skip To The Main Content

Descobrindo novos usos para análise de cadeia de suprimentos

ASCM CEO

Friday November 17, 2017


Para os profissionais da cadeia de suprimentos, muito é feito em relação à utilização de análises de dados para melhorar a previsão e o planejamento da demanda. No entanto, a Deloitte relata que, atualmente, 35% das empresas utilizam as análises para reduzir desperdícios, abusos e fraudes em cadeias de suprimentos terceirizadas, um aumento de 25,2% em 2014.

 "Infelizmente, o aumento na vigilância não reflete em menos casos de infratores que tentam praticar seus esquemas", disse Mark Pearson, Diretor forense de Consultoria Financeira e de Riscos da Deloitte, na Deloitte Financial Advisory Services. "Mesmo os usuários mais avançados de ferramentas de análise devem buscar desenvolver seus esforços para deter o desperdício, abuso e fraude na cadeia de suprimentos."

Os especialistas da Deloitte encorajam os profissionais de cadeia de suprimentos a usarem recursos forenses e analíticos para obter informações. Se os profissionais ignorarem os dados da cadeia de suprimentos, eles podem deixar passar possíveis riscos litigiosos, regulamentadores e concorrenciais. Do mesmo modo, sem a avaliação apropriada e a proteção de dados importantes, as empresas podem estar vulneráveis a ciberataques. Por último, investir em ferramentas forenses e analíticas pode ajudar as empresas a evitarem estes e outros riscos, enquanto reduzem perdas.

"No setor de energia e recursos, já vi projetos de capital complexos repletos de suborno, licitações fraudulentas, conspiração, fraude e outros esquemas", disse Larry Kivett, Sócio forense do setor de Consultoria Financeira e de Riscos da Deloitte, na Deloitte Financial Advisory Services.

De fato, na pesquisa da Deloitte, 34,7% dos entrevistados da indústria de energia e recursos indicaram uma taxa maior do que a média de abuso financeiro em 2017, ligeiramente menor do que os 35,9% relatados em 2016. Os consumidores e os profissionais do setor de produtos (39,1%) relataram os mais altos níveis de abuso de cadeia de suprimentos nos últimos 12 meses.

"Mesmo em setores altamente regulamentados, ainda há motivos para intervenientes ruins cometerem abusos na cadeia de suprimentos", disse Pearson. "Gerenciar os riscos da cadeia de suprimentos é um esforço constante."

No mês passado, um documentário alemão acusou a Haribo, o famoso fabricante de balas de goma em formato de ursinho e outras produções, de usar materiais fabricados em condições horrendas para seres humanos e animais.  Em uma declaração, comunicada pela Miami Herald, a Haribo disse que agora faz auditoria de seus fornecedores e, em alguns casos, dos fornecedores de seus fornecedores. Ela também está realizando uma auditoria local em fazendas de suínos em sua cadeia de suprimentos.

Combinando cuidadosamente os dados

As empresas precisam usar todos os seus recursos, incluindo ferramentas analíticas, para proteger suas marcas do risco da cadeia de suprimentos. Considere a definição de "redução de risco" do Dicionário da APICS: "Redução da exposição ao risco em termos de probabilidade ou impacto."

Em uma seção do site da Haribo, a empresa orgulha-se do "mundo feliz da Haribo". Esse ideal foi destruído por revelações que acusam os fornecedores da empresa de usar trabalho escravo e tratar os animais de um jeito deplorável. Uma análise mais cuidadosa da cadeia de suprimentos da empresa poderia ter atenuado ou mesmo prevenido os problemas que a Haribo enfrenta agora?

Descubra como a APICS pode ajudar sua empresa a gerenciar riscos e impulsionar desempenho. Acesse http://www.apics.org/apics-for-business para saber mais sobre os recursos que a APICS fornece às organizações.




Live Web Chat