Skip To The Main Content

Proteção da saúde do consumidor com cadeia de frio

ASCM CEO

Friday October 6, 2017


Manter a documentação correta do produto e integridade da temperatura podem às vezes representar um desafio para o setor de logística, pois os produtos são transferidos entre muitos agentes intermediários e locais de armazenamento diversas vezes. Entretanto, apresentamos algumas importantes considerações que, em alguns casos, podem ter um impacto significativo na saúde do consumidor final.

Zyma Islam escreveu para o The Daily Star, uma publicação sediada em Bangladesh, sobre alguns problemas de cadeia de frio na cadeia nacional de suprimentos farmacêuticos. Aproximadamente há um ano, uma unidade policial de investigação descobriu que dois distribuidores, LifeTech e VieTech Lab, estavam vendendo medicamentos e reagentes de diagnóstico que não estavam sendo armazenados nas temperaturas adequadas. Isso poderia fazer com que os produtos desnaturassem e não funcionassem como pretendido. Além disso, as empresas não tinham qualquer registro de onde e quando os produtos foram fabricados, o que dificultava ainda mais determinar quais produtos tinham vencido.

Em seguida, os investigadores analisaram os registros de vendas de ambas as empresas para identificar os hospitais afetados. No caso do Hospital Noorjahan, que comprou o maior número de produtos dessas duas empresas, 1.200 testes de diagnóstico de doença cardíaca realizados no hospital de novembro de 2015 e junho de 2016 foram prejudicados pelos produtos armazenados indevidamente.

Se a investigação não tivesse constatado esses problemas, os funcionários do hospital poderiam nunca saber sobre os processos insuficientes da cadeia de frio. O Central Police Hospital, que tem uma parceria de distribuição de cadeia de frio com a VieTech, recebeu produtos médicos em embalagens refrigeradas que mantiveram as temperaturas adequadas. Entretanto, com base na investigação, parece que a VieTech não estava mantendo essas mesmas temperaturas antes da entrega ao hospital.

A partir da constatação desses problemas, as autoridades de Bangladesh continuaram a analisar a cadeia de suprimentos médicos local. No mês passado, as autoridades descobriram que a EM Surgicals estava armazenando discos antibióticos para testes de diagnóstico em temperaturas acima do nível recomendado. Além disso, as autoridades confiscaram medicamentos coagulantes, imunossupressores, albumina humana, vasodilatadores e hormônios usados no tratamento de câncer de mama e próstata armazenados indevidamente, bem como medicamentos e kits de teste vencidos de diversos distribuidores.

"Podemos classificar isso como um desastre nacional", disse em seu artigo Shohael Mahmud Arafat, professor na Universidade de Medicina Bangabandhu Sheikh Mujib. "Às vezes um paciente recebe insulina, mas sem efeito na taxa de glicose no sangue, ou a administração de albumina não altera os níveis de proteína".

Obviamente, não é assim que uma cadeia de frio deve funcionar. Islam menciona Anand Shetty, diretor-gerente da Novo Nordisk, que explica o processo de cadeia de frio da empresa para o transporte e armazenamento de insulina. "Quando o medicamento é importado da Europa, cada caixa tem um termostato que controla a temperatura do produto ao longo do processo de remessa", ele explica. Depois que o produto é recebido na empresa, os registros de temperatura são verificados e apenas os produtos que mantiveram a integridade da temperatura são aprovados para distribuição. Qualquer medicamento prejudicado é destruído. Depois, as embalagens refrigeradas para transporte de medicamentos são enviadas para centros de distribuição em veículos autorizados da cadeia de frio, que mantêm temperaturas adequadas do produto. Por fim, as embalagens refrigeradas são entregues às farmácias, onde as equipes devem armazenar adequadamente os produtos até se tornarem necessários.

Esse processo é interrompido no momento em que uma das partes nessa cadeia de suprimentos não mantém a integridade da temperatura. Infelizmente, pode ser complicado controlar e determinar com precisão sem um sistema eficiente de monitoramento e uma colaboração direta entre fornecedores e clientes.

Conhecimento é essencial

Shetty diz que hospitais e farmácias podem defender seus interesses no processo de cadeia de frio contratando farmacêuticos licenciados qualificados no armazenamento adequado de medicamentos. Isso também se aplica a fabricantes e distribuidores que contratam profissionais de cadeia de suprimentos qualificados sobre os procedimentos adequados de distribuição.

De acordo com o dicionário da APICS, a distribuição inclui: "as atividades associadas com o movimento de material, normalmente peças de reposição ou produtos acabados, do fabricante ao cliente. Estas atividades incluem as funções de transporte, armazenamento, controle de inventário, manuseio de materiais, administração de pedidos, análise de localização e centro, empacotamento industrial, processamento de dados e a rede de comunicação exigida para uma gestão eficaz".

A designação de Certificado em Logística, Transporte e Distribuição (CLTD) da APICS demonstra o profundo conhecimento de uma pessoa em relação a tópicos como planejamento de capacidade e gestão de demanda, gestão de pedidos, gestão de estoque e depósito, considerações sobre logística global, projeto de rede de logística, logística reversa e sustentabilidade, entre outros. Os encarregados de CLTD da APICS são ativos valiosos para suas empresas e ajudam os negócios a serem competitivos na economia global atual. Inicie a sua jornada em busca da certificação hoje mesmo em apics.org/cltd.




Notice

ASCM Chicago offices will be closed starting Monday, March 16th until further notice. ASCM will continue to operate as usual with staff working from home.
XClose