Skip To The Main Content

Segurança da cadeia de suprimentos muda para fábricas em todo o mundo

ASCM CEO

Friday September 22, 2017


Cada vez mais, os líderes de empresas estão trabalhando para melhorar a saúde e segurança dos funcionários em todas as cadeias de suprimentos.

Semana passada, o Financial Times destacou a experiência da empresa britânica de tecnologia móvel Vodafone, que possui uma operação de logística e milhares de fornecedores na Índia. Cinco anos atrás, ao contrário das práticas locais, a empresa começou a exigir que todos os funcionários e empreiteiros usassem capacetes ao andar em duas rodas. Matthew Rae, diretor de saúde, segurança e bem-estar da Vodafone, diz que equilibrar essas diferenças culturais com as obrigações de segurança exige “perseverança e gerenciamento das consequências”. 

Essas experiências não se limitam à Vodafone ou às operações na Índia. “Empresas multinacionais como a Vodafone enfrentam desafios consideráveis para garantir a saúde e o bem-estar de sua ampla rede de funcionários e fornecedores”, escreveu Hannah Murphy. De acordo com a Economist Intelligence Unit, os eventos adversos de fornecedor estão acontecendo com mais frequência. Os riscos da cadeia de suprimentos desta natureza incluem atividades criminosas e violações dos direitos humanos. Esses riscos são especialmente evidentes nos países em desenvolvimento, onde o Financial Times informou que apenas 10% da população trabalhadora é efetivamente protegida pelas leis de saúde e segurança. 

Ainda assim, há algumas evidências de progresso. Considere, por exemplo, as melhorias feitas pela indústria têxtil após o desastre do Rana Plaza de 2013, quando uma fábrica de roupas em Bangladesh entrou em colapso e matou mais de 1.100 pessoas. Desde então, os varejistas de vestuário passaram a monitorar como seus fornecedores tratam os trabalhadores. 

“Um grande motivador nesta área agora é a reputação”, disse em um artigo Richard Jones, chefe de política e assuntos públicos na Instituição de Saúde e Segurança Ocupacional no Reino Unido. “Existe essa vontade corporativa de manter uma ‘licença social para operar’ que pode ajudar as empresas a atrair e reter talentos na força de trabalho, [e] a garantir o investimento”. 

Os melhores programas funcionam para melhorar o bem-estar dos funcionários e reduzir os acidentes - e estes também podem ter benefícios financeiros para as empresas. A pesquisa da Universidade Tufts para a Organização Internacional do Trabalho mostra que confecções no mundo todo, onde os trabalhadores relatam condições de trabalho melhoradas e melhorias na segurança e na saúde, são mais produtivas e lucrativas. Em contrapartida, quando as empresas pressionam os fornecedores por mudanças rápidas e penalizam-nos por entregas atrasadas, os supervisores de fábrica mostram maior estresse e são mais propensos a abusar verbalmente dos trabalhadores.

“As organizações bem-sucedidas devem ter valores muito claros e monitorar a cadeia de abastecimento - ao invés de gerenciá-los demais - para garantir algum tipo de transferência cultural”, diz Karen McDonnell, consultora de política de saúde e segurança ocupacional da Sociedade Real para a Prevenção de Acidentes do Reino Unido. Ao incentivar a segurança e o bem-estar dos funcionários em todas as camadas de uma cadeia de suprimentos, as empresas podem proteger os trabalhadores no mundo todo e criar indústrias mais socialmente responsáveis.

Espalhar saúde e bem-estar enquanto diminui o risco

Mas garantir a saúde e a segurança dos funcionários em toda a sua cadeia de suprimentos não é apenas fazer o bem, trata-se também de bom desempenho. O artigo do jornal The Financial Times ilustra que à medida que as cadeias de suprimentos se expandem internacionalmente, as empresas podem enfrentar um risco maior para sua reputação e resultados.

Considere a seguinte definição de resultados econômicos, sociais e ambientais, como aparece no Dicionário da APICS, “uma abordagem que mede o impacto econômico, social e ambiental das atividades de uma organização com a intenção de criar valor tanto para seus acionistas quanto para a sociedade”. 

Pense sobre como o domínio dos conceitos da cadeia de suprimentos pode dar a você e a sua empresa a capacidade de reduzir o risco, melhorar os relacionamentos da cadeia de suprimentos e potencialmente melhorar a vida dos funcionários ao redor do mundo. A obtenção da sua designação de Profissional da Cadeia de Suprimentos Certificado (Certified Supply Chain Professional, CSCP) pela APICS fornece conhecimentos e vantagens para iniciar esses processos cada vez mais importantes. Saiba mais sobre CSCP da APICS em apics.org/cscp.




Notice

The ASCM Customer Relations department will be closed Dec 13th at 10:30am until Dec 16th at 6:00am. We apologize for the inconvenience.
XClose