Skip To The Main Content

A próxima fronteira para os robôs: Recolher

ASCM CEO

Friday August 4, 2017


Os sistemas de automação e gerenciamento de depósitos existem há muito tempo, mas uma tarefa tem escapado aos robôs: recolher. No entanto, isso está prestes a mudar. O The Wall Street Journal relata que os desenvolvedores de robôs, estimulados pelo crescimento do comércio eletrônico, estão trabalhando em sistemas robóticos capazes de recolher itens das prateleiras e embalá-los para transporte.

“Diversas empresas, incluindo a Saks Fifth Avenue de propriedade da Hudson's Bay Co. e a gigante chinesa do varejo on-line JD.com Inc., começaram recentemente a testar ‘recolhedores’ robóticos em seus centros de distribuição”, escreve Brian Baskin. “Algumas empresas de robótica afirmam que suas máquinas podem mover dispositivos, brinquedos e bens de consumo 50% mais rápido que trabalhadores humanos.” 

O enorme crescimento das vendas on-line está tornando difícil o atendimento à demanda por parte dos varejistas e empresas de logística. O jornal relata que o faturamento do comércio eletrônico nos Estados Unidos totalizou US$ 390 bilhões em 2016, o dobro do faturamento de 2011, de acordo com o U.S. Census Bureau. Em países em desenvolvimento, como China e Índia, as vendas on-line estão crescendo ainda mais rápido.

Consequentemente, o emprego neste setor também está crescendo exponencialmente. De acordo com o Departamento do Trabalho dos EUA, 262.000 empregos em armazéns foram acrescentados ao longo dos últimos cinco anos. Agora, o segmento emprega quase 950.000 trabalhadores.

“O recolhimento é o trabalho de maior custo na maioria dos centros de distribuição de comércio eletrônico e está entre os menos automatizados”, escreve Baskin. Ele cita Marc Wulfraat, presidente da MWPVL International, que sugere que a substituição de trabalhadores por robôs poderia diminuir custos trabalhistas em um quinto. Entretanto, devido ao alto nível de demanda do comércio eletrônico, especialistas não esperam que robôs de recolhimento causem demissões em massa.

Embora a tarefa de recolher pareça simples, os robôs precisam ser ensinados a identificar corretamente cada produto. Isto envolve compilar enormes bancos de dados de objetos reproduzidos em 3D que guiam os robôs a encontrar e segurar corretamente os itens necessários. Empresas de automação reconhecidas, como a unidade Intelligrated da Honeywell e a KUKA, e até mesmo alguns participantes não tradicionais estão trabalhando para avançar a tecnologia e ajudar os robôs a alcançar esta habilidade.

Um exemplo vem da JD.com, que está desenvolvendo seus próprios robôs. Em abril, a gigante do comércio eletrônico começou a testá-los em um centro de distribuição em Xangai, onde pretende implementar um armazém totalmente automatizado até o final de 2018, diz Hui Cheng, chefe do centro de pesquisa em robótica da JD.com, no artigo.

Fazer bem feito

O crescimento fenomenal do comércio eletrônico mudou para sempre os processos de armazenagem e distribuição. O artigo do Wall Street Journal concentra-se em apenas um aspecto, o recolhimento, mas também demonstra a evolução da cadeia de suprimentos. Consideremos uma definição de recolhimento do dicionário da APICS: “Na distribuição, é o processo de retirada de mercadorias do estoque para envio a um armazém de distribuição ou a um cliente”.

Como o artigo do The Wall Street Journal descreve, a tecnologia de recolhimento pode beneficiar fortemente as empresas de comércio eletrônico, especialmente quando o segmento continua a crescer em termos de volume e capacidade.

Nós da APICS temos o prazer de fazer parceria com a JD.com, a maior empresa de comércio eletrônico da China por faturamento e um dos líderes mencionados no artigo. A APICS e a JD.com anunciaram um acordo estratégico para estabelecer padrões em todo o país de capacidade de cadeia de suprimentos omnichannel na China e para o avanço do desempenho de cadeias de suprimentos de comércio eletrônico na região. Parte do acordo inclui uma colaboração fazendo referência cruzada do modelo de Referência das Operações na Cadeia de Suprimentos (Supply Chain Operations Reference, SCOR) com a extensa base de dados da JD.com, a fim de desenvolver uma referência de omichannel SCORmark específica para a China.

Para saber mais sobre como a APICS e a SCOR podem ajudar seu negócio, acesse apics.org/apics-for-business.




Notice

ASCM Chicago offices will be closed starting Monday, March 16th until further notice. ASCM will continue to operate as usual with staff working from home.
XClose