Skip To The Main Content

O problema com fornecedores difíceis

ASCM CEO

Friday November 4, 2016


APICS-Supply-Chain-Management-Now

A época de sair de casa em casa perguntando “gostosuras ou travessuras?” por ter terminado, mas fornecedores difíceis são sempre um problema. A Forbes destacou esse fato na reportagem “Do Supply Chain Audits Work? Dealing with Deviant Suppliers Like a Journalist” (As auditorias de cadeias de abastecimento funcionam? Como lidar com fornecedores com comportamento desviante como um jornalista).

O escritor Jonathan Webb comenta uma investigação da  BBC que encontrou crianças sírias refugiadas na Turquia fabricando roupas para consumidores do Reino Unido. Webb explica duas descobertas perturbadoras para qualquer pessoa do setor de cadeia de abastecimento. Em primeiro lugar, os auditores podem ser enganados. Em seguida, os fornecedores frequentemente usam subcontratados que não passam pelas auditorias.

“Embora sejam problemas diferentes, resultam de uma causa comum: fornecedores com comportamento desviante que desejam violar as regras e enganar o comprador”, Webb escreve.

No caso das crianças, a BBC  descobriu que os empregadores as obrigavam a se esconder quando os auditores chegavam. Em outros casos, os próprios auditores locais podem ser corruptos. De qualquer modo, as violações não são informadas.

Webb recomenda que as corporações multinacionais sigam algumas dicas dos manuais de estratégia de jornalistas. Por exemplo, a utilização de auditorias não anunciadas ou até mesmo infiltradas, com as autoridades se apresentando como funcionários ou parceiros potenciais, pode revelar a situação verdadeira. 

Quanto aos subcontratados não autorizados, “estes são bem escondidos na cadeia de abastecimento com pouco recurso a códigos de conduta remotos, escritos em países distantes”, Webb escreve. “Surpreende que no mundo de bens de consumo produzidos em massa, onde a escala predomina sobre todos os outros fatores, que marcas internacionais podem ser atendidas por uma indústria de pequena escala mal distribuída.” 

Para descobrir tais relações não autorizadas e violações dos direitos humanos, as empresas realmente precisam procurá-las. Webb recomenda que este é o momento para mudar a abordagem atual e lidar mais diretamente com esses graves riscos da cadeia de abastecimento. Ele escreve que as corporações devem “dedicar mais esforços na busca de pistas, analisar as informações de forma cética e, geralmente, desempenhar a função de jornalistas.”

Soluções sustentáveis

Embora a investigação da BBC tenha se concentrado na Turquia, estes problemas perturbadores de fornecedores ocorrem em todo o mundo em diversos setores. E conforme a economia global fica mais complexa, os profissionais da cadeia de abastecimento devem fazer tudo o que estiver ao seu alcance para impedir e eliminar a corrupção, não apenas porque é a coisa certa a fazer, mas porque também diminui o risco para a organização.

Considere a definição de análise de risco da 15.° edição do Dicionário APICS: “Uma análise da incerteza associada à pesquisa, desenvolvimento e produção de um produto, serviço ou projeto.” 

A próxima edição de novembro/dezembro da revista APICS, que é dedicada à responsabilidade social corporativa, apresenta um artigo sobre cadeias de abastecimento sustentáveis para o setor de vestuário. Para o artigo, a editora-chefe da revista APICS, Jennifer Proctor, entrevistou Sarah Labowitz, co-fundadora, co-diretora e pesquisadora em negócios e sociedade do Stern Center for Business and Human Rights da New York University.

“Tenho um grande respeito pelas cadeias de abastecimento”, Labowitz disse na entrevista. “Acredito que detêm muito poder. No fim do dia, a maneira que uma cadeia de abastecimento é gerenciada tem muito a ver com o modo como os trabalhadores são tratados naquela cadeia de abastecimento. As cadeias de abastecimento que priorizam e controlam a transparência e as relações de longo prazo com fornecedores são as melhores para os trabalhadores.” 

Nós na APICS trabalhamos para assegurar que você tenha recursos para lidar com desafios emergentes e persistentes da cadeia de abastecimento. Tais recursos incluem a principal publicação da associação, a revista APICS. Aguarde um e-mail sobre a próxima edição em sua caixa de entrada até 9 de novembro. Além da reportagem de capa sobre as cadeias de abastecimento do setor de moda, a edição inclui artigos sobre medidas legais das cadeias de abastecimento para eliminar a escravidão e o tráfico de pessoas, fornecimento de assistência médica de qualidade elevada em todo o mundo e a opção de frotas de veículos movidos a gás natural. Visite apics.org/magazine ou verifique o aplicativo para tablets da revista APICS para ler mais.