Skip To The Main Content

Da contagem manual ao monitoramento inteligente

ASCM CEO

Friday October 30, 2015


APICS-Supply-Chain-Management-Now

Os sistemas de identificação de radiofrequência (RFID) vêm sendo usados há anos em fábricas, armazéns e estabelecimentos comerciais para gestão de estoque e, agora, os hospitais estão começando também a implantar esta tecnologia. Com a implementação da Lei de Cuidados Acessíveis, os dirigentes de hospitais estão procurando adicionar serviços, porém, restringir os gastos, segundo um artigo recente do The Wall Street Journal. O setor de cuidados com a saúde espera que esta tecnologia ajude as instalações médicas a melhorar a gestão de estoque e reduzir compras desnecessárias de suprimentos.

A autora Loretta Chao oferece um exemplo de rede do BJC HealthCare de doze hospitais em Illinois e Missouri. Até o ano passado, os hospitais administravam seu estoque “da forma antiga: contando os itens”, escreve ela. Isso provou ser ineficiente para a rede de hospitais, já que alguns hospitais pediriam mais de um determinado suprimento quando houvesse escassez, porém, outros teriam este item em excesso.

Para manter todos em sintonia, a rede de hospitais está investindo milhões de dólares para colocar as etiquetas RFID em alguns dispositivos médicos, escreve Chao. As etiquetas são conectadas a uma base de dados central, que monitora quando os itens são usados ou estão prestes a expirar. A base de dados central também gera novos pedidos quando os suprimentos estão em falta e coordena o compartilhamento de suprimentos entre os hospitais, onde for viável.

Marcia Howes, diretora da cadeia de suprimentos do BJC HealthCare, diz no artigo que o novo sistema “reduziu a quantidade de estoque que as instalações tinham que manter em 23% nos testes”. O sistema de saúde espera ter um retorno sobre o investimento em menos de dezoito meses, acrescenta ela.

Os hospitais usaram, no passado, a tecnologia RFID para monitorar pacientes e equipamentos médicos caros, mas não implementaram tão rapidamente esta tecnologia em outras áreas, observa Chao. Isso ocorre parcialmente devido ao fato de os estoques hospitalares serem administrados por pessoas com experiência médica e não necessariamente com experiência em cadeia de suprimentos. Outros hospitais não puderam custear a tecnologia e optaram por códigos de barra digitalizáveis ou outros métodos de monitoramento.

No entanto, à medida que a administração de Obama está tentando transformar os sistemas de saúde em um modelo de recebimento de pagamentos devido à qualidade do cuidado aos pacientes em geral em oposição a taxas por cada serviço, os hospitais estão prestando mais atenção aos custos. Além disso, fusões na área da saúde facilitam a muitos hospitais consolidarem suas operações de cadeia de suprimentos e utilizarem uma tecnologia como RFID.


 

Acompanhando as tendências

Não importa a que setor você esteja atendendo, administrar adequadamente o estoque é fundamental para reduzir custos de estoque, assegurar que sua empresa sempre tenha suprimentos, e evitar pedidos desnecessários. Segundo a Estrutura do corpo de conhecimento de gestão de operações da APICS, gestão adequada de estoque ajuda a administrar a obsolescência. “Uma condição essencial na administração de estoque é manter o estoque atualizado, em condições de uso”, diz este órgão. “O estoque que se torna obsoleto geralmente se torna uma baixa em relação aos lucros na declaração de perdas e ganhos.” A obsolescência pode ocorrer a partir de efeitos como deterioração, como é o caso dos alimentos; e perda de utilidade a partir da introdução de produtos, métodos e instalações melhores e mais econômicos.

Uma forma de assegurar que você tenha a habilidade de tornar a gestão de estoque uma vantagem competitiva e evitar a obsolescência é obter a certificação da APICS em Gestão de estoque e produção (Certified in Production and Inventory Management, CPIM). A CPIM fornece aos profissionais de cadeia de suprimentos a capacidade de entender e avaliar as atividades de produção e estoque dentro das operações internacionais de uma empresa. Ela ajuda os profissionais a dominarem terminologia, conceitos e estratégias essenciais relacionados à gestão de demandas, gestão de compras, planejamento de fornecedores, planejamento de requisitos de materiais, planejamento de capacidade, planejamento de vendas e operações, dominar programação, medidas de desempenho, relacionamentos com fornecedores, controle de qualidade e melhoria contínua. Para saber mais, acesse
apics.org/cpim.




Live Web Chat